Jardim do Dharma
Bem-vindo ao Jardim do Dharma
topo

 

Viagem realizada pelo Lama Karma Zopa Norbu
- 2003
-
Montanha Wu Tai Shan / China Continental

 

FOTOS

 

 

Wu-Tai Shan - Montanha sagrada no norte da China e moradia do Bodisatva Majurshi. A tradição pré-budista das montanhas sagradas na China origina-se, em parte, de mitos dos pilares do céu e, em parte, de sábios e místicos que freqüentaram as colinas escassamente populadas. Curiosamente, a palavra chinesa para peregrinação significa literalmente, respeitar uma montanha. No século I depois de Cristo, mercadores que voltavam da Índia pela Rota da Seda começaram a introduzir o Budismo na China. Mais tarde, os peregrinos que voltavam da Índia com textos sagrados e com o desejo da vida de renúncia fundaram eremitérios e monastérios nos picos ou próximo a eles. Com o passar do tempo, os budistas chineses começaram a considerar os cinco picos como tendo santidade principal, cada um deles associado a um Bodisatva diferente.
Por causa de sua localização isolada em uma faixa no norte da China, Wu Tai Shan foi pouco afetada pela devastação da revolução comunista e por seu produto, a revolução cultural. A montanha, ascendendo 10.000 pés (cerca de 3.040 metros) acima do nível do mar é, na realidade, um grupo de cinco picos com topo plano, o que explica o seu nome que significa Cinco Montanhas Planas. O primeiro dos mais de 50 templos foi construído no Século I depois de Cristo, ainda que todos os demais sejam do Século VII. Esses incluem 10 Monastérios de Lamas Tibetanos.
Wu Tai Shan foi considerada o centro do Budismo chinês por 2 mil anos e era vastamente conhecida não apenas na China, mas também pelos budistas no Japão, Índia, Sri Lanka, Burma, Tibete e Nepal. Muitos mestres conhecidos e realizados desses países fizeram longas peregrinações para estudar e meditar nessas áreas santificadas. Há numerosas histórias de visões de Majurshi montado em um leão azul no alto das montanhas, acima dos monastérios.
 


Wu-Tai Shan: China's sacred mountain of the north and a seat of Bodhisattva Manjusri. The pre-Buddhist tradition of sacred mountains in China stems partly from myths of the pillars of heaven and partly from sages and mystics who frequented the sparsely-populated heights. Interestingly, the Chinese word for pilgrimage means literally, paying ones respect to a mountain. In the 1st century ce., merchants returning from India via the Silk Route began the introduction of Buddhism into China. Later pilgrims returning from India with sacred texts and the desire for renunciate life founded hermitages and monasteries on or near peaks. Over time, Chinese Buddhists began to regard the five peaks as having primary sanctity, each associated with a different Bodhisattva.
Because of its isolated location in a range of northern China, Wu Tai Shan was barely touched by the ravages of the communist revolution and its child, the cultural revolution. The mountain, rising 10,000 feet above sea level, is actually a group of five flat topped peaks , which explains its name meaning Five Terrace Mountain. The first of over 50 temples were built in the 1st century ce. though all those remaining date from the late 7th century. These include10 Tibetan Lamaseries.
Wu Tai Shan was considered the center of Chinese Buddhism for 2,000 years and was widely known not only in China but also to Buddhists in Japan, India, Sri Lanka, Burma, Tibet and Nepal. Many well-known and accomplished masters of these countries made long pilgrimages to study and meditate in these sanctified surroundings. There are numerous stories of sightings of Manjusri riding a blue lion high in the mountains above the monasteries.

 

 

Jardim do Dharma - Kagyü Dak Shang Chöling
ACESSE TAMBÉM:
Site SBTCC

Instale em seu celular ou tablet o aplicativo do Jardim do Dharma e receba atualizações
CLIQUE AQUI

Encontrou problemas no site? Por favor, CLIQUE AQUI e nos informe.
Ou mande um email para secretaria@jardimdharma.org.br

Este site é melhor visualizado em 1280 x 960